quinta-feira, 12 de outubro de 2017

TAMBÉM ESTÁ ESCRITO: NÃO TENTARAS O SENHOR TEU DEUS MAT.4: 3-7.

O medo pode está ligado a um fato que realmente pode  trazer mal resultados.Por exemplo: Uma pessoa que tem medo de atravessar uma avenida, uma avenida em que os carros transitam  em alta velocidade. É lógico  que o receio da pessoa de ser atropelada é sentido por qualquer pessoa normal.um atropelamento é um acontecimento provável se houver falta de cuidado. O medo normal é humano. Um atropelamento é um acontecimento provável se houver falta de cuidado.O medo normal é humano. o medo desmedido é doença. A própria ciência busca através de tratamento a busca do equilíbrio entre o medo necessário à própria  existência, e o medo desmedido que angustia a alma.

Muitas pregações condicionam  o sucesso do cristão( principalmente material ) na ausência  do medo, alegando que aquele que tem sua fé fundada na rocha eterna não pode temer a nada. De fato, ter fé,  em tese poderia significar não ter medo. Mas na prática a coisa  não  funciona assim. Somos instáveis, temos preocupações,  nossas mentes trabalham até quando dormimos e, por setas características e condições,  é impossível que não sejamos acometido pelo medo.

A diferença é a fé que nos resgata para o equilíbrio, que nos dá força  para vencê-lo,  não para eliminá-lo. A bíblia é pródiga em mostrar a face humana  do medo,  em tantos heróis da fé: Moisés
,  Elias, Davi, e os apóstolos. Ora,  se até mesmo o filho de Deus,  em circunstância limite ,experimentou o medo ( Jardim do getsêmani ) porque o pobre do cristão ao senti-lo estará  confessando falta de fé?

Este artigo jamais pode encarar  como apologia ao medo, a covardia, mas  a se  ter  precaução,  ao cuidado que o cristão deve ter num mundo que jaz no maligno, Paulo já havia tido o encontro com Jesus no caminho de Damasco,mas nem por isso dispensou o cuidado de descer num cesto pelo muro,
no contrário teria a sua vida ceifada.

O CRISTÃO PODE TER MEDO??

Quando falamos em medo essa palavra soa para nós como um extremo oposto  da fé que temos na proteção de Deus. desde que nos convertemos ao evangelho,  a maioria de nós aprende que o cristão não pode ter medo, que não pode ser um medroso, porque vivemos debaixo da proteção divina. E isso é evidente haja vista que servimos ao general que não perde batalha, Jesus .  Somos servos dos Rei dos Reis e o Senhor dos senhores.  Sendo assim é óbvio que não devemos  ter medo.

Diante desta conclusão que nos parece tão justa, por  vezes ficamos estupefatos com notícias de cristãos que morreram em situações nada diferente dos ímpios. Tiroteios,  balas perdidas,  acidentes fatais,  assaltos,  violências etc.E diante desses fatos, perdemos um pouco daquela fé na proteção sob o esconderijo do Altíssimo.

Chegamos a questionar. ( Estaria aquela pessoa que morreu naquela condição sem fé, ou com algum pecado escondido? Esse é um julgamento injusto por dois motivos: Primeiro,que são muitos os cristãos que já morreram  nas mais diferentes  situações de acidente e violências.Segundo que conhecemos também  pessoas que se dizem cristãs,  que andam muito erradas, que andam muito erradas,  e nem por isso perderam a vida.

A verdade é que a maioria dos cristãos não tem discernimento das palavras medo e precaução.  Ouvimos sempre cristãos que afirmam em tom de autoridade: Eu não tenho medo de nada... Tenho muita fé. Difícil é encontrar conexão da fé destas pessoas  com a ocasião em que José  e Maria fugiram de noite para o Egito, e logo com o menino Jesus juntos deles,  o que nos faz pensar  que a proteção de Deus é evidente, mas no entanto tiveram que literalmente fugir. Muitas vezes o excesso de confiança acaba por resultar em tragedia, Como  o caso de um pastor que,  ao ser assaltado,  abriu
velozmente  a bíblia no salmo 91, e antes que ele começasse  a ler o primeiro versículo, o assaltante,
no susto, o matou com um tiro.


Fé e crê na providência de Deus, esperar com paciência  a resposta divina, mesmo nas provações,  como foi o caso de Jó,  que sendo um homem justo, a tragedia tirou a vida dos seus filhos,  e mesmo assim não abandonou a Deus, como aconselhou a sua esposa em um momento de desespero.Diante desta fé,  Deu o retribui tudo em dobro.  Muitos destes que dizem não temer a nada,  que teem muita fé,  diante de uma perda familiar,  pensam logo em abandonar o caminho do Senhor.



A FAMÍLIA NO PLANO DE DEUS

A palavra casa, neste verso, não tem um significado físico, de família,  isto é,  um lugar de comunhão

com  Deus,  composto de vários membros, ligados por um relacionamento entre pais e filhos, marido e esposa.A presença de Deus, como construtor,  no seio da família, é de real importância, porque não pode haver  uma felicidade duradoura sem uma ajuda constante de Deus.

A prioridade absoluta a fim que a família possa  no tempo,  manter o amor, a unidade e a prosperidade,  não depende só  das condições econômicas ou da capacidade ou da capacidade humana  em administra-la, mas sim do ensinamento dos princípios  fundamentais  Bíblicos e da presença de Deus.

Pode parecer impossível, porem esta é uma realidade, as vezes alguém quer que Deus opere em sua vida, sem que esta mesma operação seja extensiva  a sua casa: Deus quer nos abençoar individualmente, mas muito mais coletivamente.


Vivemos em um mundo onde o matrimônio não é considerado mais como instituição divina,  e as pessoas vêem a família apenas como instituição social,  com propósitos e finalidades egoístas

e sem sérios compromissos, podendo iniciar e findar em qualquer tempo, esquecendo-se  das profundas feridas que permanecerão abertas até o fim das vidas envolvidas.

A família é uma das boas dádivas de Deus. A vida familiar  pode e deve ser como um paraíso  na terra. Deus a fez assim. É possível o segredo do sucesso é simples: Obedecer a Deus e seguir  as suas instruções. Não esquecendo do Salmo 119 e vrs 105, Lâmpada para meus pés é a tua palavra,e luz para o meu caminho.
.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

AS TRÊS FASES DO CASAMENTO

A)O namoro que deve ser bem pensado, pois muitos ingressam nessa de olhos vendados, ora atraído pela beleza do sexo, ora impulsionados por mero instinto sexual. Disto pode resultar prejuízos irreparáveis.
de ordem espiritual e moral de consequências desastrosas e duradouras, que pode sobrecarregar os jovens  de desgosto e vergonha.


B)O noivado é o tempo certo para o lançamento das bases para o enlace matrimonial. No período do noivado deve haver,  muita oração a Deus, invés de excessiva  aproximação amorosa. Os que desejam construir um um lar feliz, devem buscar a Deus a sabedoria  adequada, maturidade espiritual e  emocional,  que são fatores  indispensáveis a nova vida. O casamento exige  um amor profundo Cantares 8.7) As muitas águas não poderiam apagar esse amor, nem os rios afoga-lo, ainda  que alguém desse todos os bens da sua casa  não poderia apagar esse amor seria de todos desprezados.




C)O casamento è o passo decisivo  e o começo de uma jornada que pode durar longos anos . Este é o propósito  esse é o proposito de deus e a esperança dos pais que a vida conjugal dos filhos  seja em todos os dias,  assinalados  de alegria  de prosperidade  e plenamente feliz.  Só assim estarão tranquilos  e Deus será glorificado. Pastor José  Jeronimo da silva..

COMO VENCER A CRISE

                                            
O mundo inteiro enfrenta  atualmente, uma crise  considerada  a pior dos últimos vinte anos, porém é bom sabermos que as piores crises geralmente trazem as melhores oportunidades. Elas constituem  um tempo  curioso,   tenso e difícil, este é igualmente  fértil e abençoado. A crise desestabiliza as estruturas  frágeis, faz cair as máscaras   dos aventureiros,  ao passo que só os bravos e os fortes  sobrevivem.  Crise é um tempo perigoso e oportuno,  porem muito mais importante  do que falar  em crise  é mostrar  uma saída para ela.
Evite falar em crise e em problemas, concentre  suas energia e forças físicas e mentais  em busca  de uma solução  para os problemas , a diferença entre um homem fracassado e um homem vitorioso  consiste  o primeiro  se concentrar nos problemas e o segundo , nas  soluções, você é parte do problema ou da solução?  Cultive uma mentalidade de trabalho,  de produção e de investimento, seja criativo, produsa um pouco mais,  conquiste sua fatia  no mercado, ocupe o seu espaço  na vida, seja um termostato  que determina a temperatura  do ambiente, e não um termômetro que só sabe registra-la.
Agradeça  a Deus pelo que você tem e não seja um revoltado pelo que não tem. Deus nos prometeu dar-nos o básico  e o essencial. O vestuário,  o abrigo e o pão,  não como o fruto da ociosidade, mas de trabalho,  Deus não abençoa a malandragem . A bíblia diz: do suor do teu rosto,  comeras o teu pão,  ainda diz a bíblia: Digno é o trabalhador do seu salario, e eu acrescento salário digno.

O trabalho é necessário para todos. O trabalho dignifica o homem e todos os que estão em seu redor ouçam essas palavras. Produzam, trabalhem,  cada um de nós tem o dever de repor o que consome no cotidiano.  Não procure emprego,  encontre trabalho e que seja uma atividade produtiva e lícita. Não tente enganar a Deus.  Aquele que é fiel a Deus é abençoado por Ele, na sua casa há prosperidade a luz da bíblia, não há escuridão para aqueles que são corretos  e bondosos  misericordiosos e honesto diante de Deus.
Quem é correto nunca fracassará, será lembrado por Deus por todo tempo. O


devorador será repreendido e em sua lavoura não haverá praga, ao contrário, ele recebe bênçãos  sem medida e vê   abertas as janelas do Céu e sua vida mudará , leia a bíblia  a carta magna de Deus  para toda humanidade e você encontrará  uma  ótima receita para vencer  a crise. 

domingo, 8 de outubro de 2017

O PROPÓSITO BÁSICO DE DEUS PARA A FAMÍLIA, O CASAMENTO

              O PROPÓSITO BÁSICO DE DEUS PARA A FAMÍLIA O CASAMENTO

A família começa com o casamento. Quando Deus criou Adão e Eva, Ele revelou seu plano básico  para o casamento: por isso, deixa o homem pai e mãe  e se une a uma mulher, tornando–se os dois uma só carne( Gênesis – 2. 24). Este plano é claro.
 Um homem ligado a uma mulher. Milhares de anos mais tarde, Jesus afirmou que este ainda é o plano de Deus  Ele citou este versículo e acrescentou: Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem, (Mateus 19.6 ) Este casamento é uma relação para toda vida . Somente a morte deve cortar esse laço ( Rom  7: 1-3.) Deus aprovou as relações
Sexuais  dentro de um casamento aprovado por Deus ( Hebreus ( 13 e 4) Esposos e esposas  tem a responsabilidade satisfazer os desejos sexuais 9 DADOS PÓR Deus ) aos seus companheiros  ( 1 Coríntios – 7: 1-5.)  Todas as outras relações sexuais são sempre e absolutamente  erradas .
 Relações sexuais  entre pessoas do mesmo sexo são absolutamente proibidas por Deus ( Romanos 1. 24-27 e 1 coríntios 6: 9-11). Deus não criou Adão e João,  Ele fez uma mulher, Eva, como uma parceira apropriada  para Adão. As relações sexuais  ante do casamento,  mesmo entre pessoas que pretendem se casar, são condenadas por Deus ( 1 coríntios7. I-2, 89: Gálatas 5.-19) .
 as relações sexuais estra –conjugais  são também claramente proibidas( Hebreus 13.4 ) casais  assim unidos  diante de Deus  pelo casamento gozam o privilégio  de terem filhos.
Deus ordenou  a Adão e Eva e aos filhos de Noé que tivessem filhos Gênesis ( 1-28 e 9-10 Ainda que nem  todas as pessoas tenham que  se casar, e que nem todas terão filhos, é ainda o plano básico de Deus que os filhos nasçam dentro de família,

completas com pai e mãe  ( 1 Timóteo 5 e 14 )Em lugar nenhum da Bíblia  encontramos autorização uma mulher ter relações sexuais  para conceber um filho,  antes ou sem casamento.

 A paternidade solteira  que já virou moda  em nossa sociedade moderna  é um  afastamento do plano de Deus  que terá serias consequências para as gerações futuras. Esse assunto continua é só aguardar a próxima postagem.

O PROPÓSITO DE DEUS PARA A FAMÍLIA

                
SE O Senhor não edificar a casa em vão trabalham os que a ela edificam;  Se o senhor  não guardar a cidade , em vão vigia a sentinela( Salmo 127 e verso 1.
Deus nos criou e nos designou o casamento  e a família como a mais  fundamental das relações humanas.
Em nosso mundo de hoje em dia, vemos famílias atormentadas pelos  conflitos e arrasadas pela negligência  e o absurdo. O divórcio tornou-se uma palavra comum,  significando miséria  e dureza  para os múltiplos milhões de suas vítimas.
 Muitos  homens jamais aprenderam a ser esposos  e pais devotados. Muitas mulheres estão fugindo de seus papeis dados por Deus. Pais que não tem nenhuma ideia de como preparar seu filhos estão assim perturbados pelo conflito com seus rebentos rebeldes.
Outros simplesmente abandonam os seu dever, de3ixando filhos sem  qualquer preparação ou provisão. Para muitas pessoas hoje em dia , a frase familiar e confortadora “ Lar Doce Lar” não é mais do que uma ilusão vazia. Não há nada  doce ou seguro no lar onde há o absurdo, a traição e o abandono.
Haver uma solução? Poderemos evitar tais tragédias  em nossas famílias? Poderão os casais jovens  manter o brilho do amor e do otimismo décadas depois de fazerem os votos no casamento?  Haverá  esperança  de recuperação dos terríveis  erros do passado?
As respostas  para essas  perguntas é sim, as soluções raramente  são   fáceis. A construção de lares sólidos não acontece  por pura sorte. Somente pelo retorno ao padrão de Deus para as nossas famílias poderemos começar a entender as grandes bênçãos  que Ele preparou para nós em lares construídos sobre a rocha sólida da sua palavra. Consideremos brevemente alguns princípios básicos  ensinados  na bíblia sobre a família.
Quando temos dificuldade com a geladeira,  entendemos que o fabricante,  que escreveu o manual do usuário,  sabe mais do aparelho do que nós.  Lemos o manual para resolver o problema. Quando vemos tantos problemas nas famílias de hoje, só faz sentido que o nosso Criador,  que escreveu o manual do usuário, sabe mais a respeito da família do que nós.

Precisamos ler o manual para achar como  construir  e manter bons lares. Encontramos  essas instruções na bíblia. Ela nos guia em cada aspecto do serviço a Ele incluindo  a realização  de nossos papeis na famílias.